News

Conflitos armados atingem recorde pós-Segunda Guerra Mundial em 2023

O número de conflitos em todo o mundo atingiu 59 no ano passado, dos quais 28 ocorreram em África.

Ocorreram mais conflitos armados em 2023 do que em qualquer outro ano desde o fim da Segunda Guerra Mundial, concluiu um novo estudo.

O Instituto de Pesquisa para a Paz de Oslo (PRIO) disse que 59 conflitos armados ocorreram em todo o mundo no ano passado, liderados pelas guerras na Ucrânia e em Gaza.

Vinte e oito dos conflitos ocorreram em África, seguida pela Ásia com 17 e pelo Médio Oriente com 10. Apenas três conflitos foram registados na Europa e um único exemplo nas Américas.

Embora o número de conflitos tenha aumentado no ano passado, o número de países que sofreram conflitos diminuiu de 39 em 2022 para 34.

O aumento do número de conflitos pode ser parcialmente atribuído à propagação do EIIL (ISIS) pela Ásia e no Médio Oriente e ao envolvimento em geral de um número crescente de intervenientes não estatais. Isso tornou o trabalho das ONG ainda mais difícil, afirma o relatório.

“Este desenvolvimento torna cada vez mais difícil para intervenientes como grupos de ajuda e organizações da sociedade civil manobrar o cenário de conflito e melhorar a vida das pessoas comuns”, disse Siri Aas Rustad, investigador do PRIO e autor principal.

Um incêndio assola um mercado de gado em al-Fasher, capital do estado sudanês de Darfur do Norte, em 1º de setembro de 2023, após o bombardeio das Forças de Apoio Rápido paramilitares [AFP]

De acordo com dados recolhidos pela Universidade de Uppsala, na Suécia, junto de organizações não governamentais e internacionais, o número de mortes em combate caiu para metade no ano passado, para 122 mil.

Mas o número continua a ser o terceiro mais elevado desde 1989 e, no geral, os últimos três anos registaram mais mortes relacionadas com conflitos do que em qualquer momento nas últimas três décadas. Foram impulsionados pela guerra civil na região de Tigray, na Etiópia, pela invasão russa da Ucrânia e pelo ataque a Gaza.

“A violência no mundo atingiu o nível mais alto desde o fim da Guerra Fria”, disse Rustad.

“Os números sugerem que o cenário do conflito se tornou cada vez mais complexo, com mais intervenientes no conflito a operar dentro do mesmo país.”

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button